Até 24 de Novembro: inscreve-te por e-mail (adolescentegay92@gmail.com), no 1º Sunset Solidário da Blogosfera! Vota em quem nos ajuda... todo o ano! =D

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Existir é Vencer

Boa noite.

Ouvi essa frase [existir é vencer] hoje, no jornal da TVI e ficou-me na memoria... Existir é vencer? Eu acho que, existir não é vencer - é perder; perder quem gostamos; perder o controlo e, perder essencialmente, nós mesmos.

Na 4f à noite, desisti. Estou cansado.... tão cansado que nem consigo soltar uma lágrima, à excepção de hoje. Tudo isto está a ser tão difícil, tão desesperante, tão sentido que.... faz-me mim - alguém rijo e vindouro -, em pó - como se de um milho se tratasse. O que sou, afinal? Nos últimos dias, dei tudo o que tinha e, desisti. Não dá. Há que reconhecer quando perdemos a batalha e, sinto, que a também já perdi a guerra. Do que vale lutarmos contra tudo e todos se, depois, não temos nada - nem bens materiais, nem pessoas ao nosso lado?

O que mais preciso, nesta batalha monumental, não é de palavras - é de silêncios. Abraços silêncios, olhares silenciosos e, principalmente, de mim. Não sei já, o que quero... toda esta merda, faz-me pensar o que quero para a minha vida. Sinto, que o meu futuro está a decidir-se agora..... sinto que, já não tenho forças para ficar de pé, em mar bravo, puxando comigo a minha mãe, quando, ao mesmo tempo, sou puxado por areias movediças e, tento caminhar mas, sempre, em vão. É desesperante, é angustiante e.... é amor. Sinto que me estou a perder e que, não sei o que levar comigo nesta época de horrores, para a minha vida.

Não sei o que faz de mim uma pessoa - visto que respirar não torna ninguém humano - , o que é preciso para sermos boas pessoas? Ou más? Hoje sinto-me uma má pessoa... não por ter feito mal a ninguém, mas por não fazer bem. Sinto que não conseguirei levar este barco até terra firme e isso assusta-me - assusta-me por ter acordado algo em mim que, já há muito estava adormecido e, agora, voltou.

Estou desesperante à busca de um caminho, mas, todos eles são traiçoeiros e repletos de nevoeiro. Estou tão cansado que não me revejo. O que faz de mim uma pessoa - visto que não fazer coisas más, não é certamente- e não faço coisas boas?

Quando o abraço não vem, e há ecos que não calam.... o que fazer? Se existe Deus, Destino ou "Algo", que se revele..... se existe vida, que se mostre - pois aqui, já não há - apenas um ser vivo que, nem pessoa é.

"Hoje eu acordei com medo, mas não chorei, e nem reclamei abrigo." Poema. Ney Matogrosso.




Beijos!