Queres enviar um comentário longo, desabafar, ou simplesmente conversar? Escreve para o meu e-mail: adolescentegay92@gmail.com

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

MOTELx 2/4 2016

Boas!

Como hoje é quarta-feira, damos seguimento às críticas da 10ªEdição do MOTELx 2016, sendo que esta série de 4 publicações já teve início na semana passada. Hoje, falarei sobre o dia 9 de Setembro.
Eis os bilhetes dos filmes que fui ver dia 9 de Setembro, no MOTELx
Vamos começar por este que foi o primeiro de dois filmes cheios de sustos (logo eu que sou um maricas!)! Villmark Asylum (da Noruega, 2015), conta a história de um antigo sanatório que se encontra para ser demolido e, para isso, uma equipa vai à mansão (que se situa no meio de uma floresta), para verificar se não existe lá nenhuma substância perigosa. A equipa ainda sabe que o velho edifício é guardado por um empregado de limpeza...
Este filme vem do seguimento de um outro filme norueguês, Villmark (2003).



Ao longo desta trama, conseguimos perceber que este tem o velho trajecto dos filmes de terror: os sustos. A equipa começa a perceber que algo não está bem e começam a morrer, não restando ninguém, deixando um nítido cheiro de haver seguimento. É um bom filme, com excelentes actores, e uma óptima fotografia. Todos os ingredientes para um fabuloso filme de nos tirar o sono!! =)
E vamos já para o último filme do dia, que foi um filme vencedor! The Noonday Witch, o vencedor da melhor longa de terror europeia 2016 pelo MOTELx, é inspirado num poema baseado da temática tradicional e folclórica da República Checa, de onde é originário este filme de 2016. A história que nos é contada, passa-se no meio de um Verão quente, onde uma mãe leva a sua pequena filha para a terra onde nasceu o seu marido. À medida que o calor vai aumentando, a relação entre a mãe e filha vai-se tornando insuportável e, isso, leva aos locais a verem semelhanças entre esta situação e uma velha lenda da região...



O filme é bastante bom. Consegue ter em medidas certas os sustos, um óptimo argumento, e a densidade das várias personagens. Conseguimos ver a angustia e o medo de uma mãe, perante uma nova realidade, e a sua vontade de começar do zero na nova casa, apesar de todas as "distracções".

Recomendo os dois filmes anteriores. No primeiro vê-se sangue, escuridão, e sustos. Enquanto o segundo, tem como base um argumento local, numa trama simples, mas com profundidade.

Para a semana, irão saber como a burca pode ser um argumento de um bom filme de terror! =)


Beijinhos e portem-se mal!! ;)