Em Setembro, há NOVIDADES! Nova Parceria, Passatempos, e o início das inscrições de mais um evento da blogosfera portuguesa! =D

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Portugal e os Poetas

Boa noite.

Na próxima 3ªfeira temos feriado, mas ainda percebemos o significado da Liberdade?

Começo por vos pedir desculpa. Não escrevo este texto no meu estado normal. Cada palavra, vírgula, e parágrafo, está ensopado com o que escorre dos meus olhos. Ary dos Santos, "Cavalo à solta".



Temos Liberdade e, cada ano que passa, o dia 25 de Abril, tem de ser festejado, lembrado e usado. Usar a nossa Liberdade, usar a nossa imaginação, usar o nosso corpo como bem entendemos. No uso da nossa essência está, para mim, o maior bem que foi conquistado pela Revolução e, este bem, é a Liberdade de Expressão.

É graças à revolta, à luta, ao sacrifício, ao acreditar de tantos homens e mulheres que não conheço - é que eu hoje posso assumir quem sou, escrever o que escrevo, e lerem-me quem o quiser. É graças à Liberdade de Expressão, que eu hoje estou feliz, genuinamente feliz, pela coragem que tantos tiveram, e pela sedimentação da Revolução de Abril. Agradeço, assim, aos militares por terem deixado o Conselho da Revolução, ao General Ramalho Eanes, aos deputados constituintes, e aos poetas.

Só um poeta é que consegue resumir o dia mais importante para o meu país em apenas 3 palavras: "O dia inicial inteiro e limpo". Hoje em dia, a cultura Ocidental, vive uma crise de poetas.
A cineasta Margarida Gil, com uma frase de Sophia de Mello Breyner Anderson
São os poetas - mesmo aquelas que escrevem em prosa têm de saber poesia, pois só assim é que conseguem escrever belos textos -, que trazem à sociedade reflexão, mudança, e agitação. Os poetas não são conformistas. Os poetas não sabem manejar espadas, os poetas têm uma arma muito maior do que um sorriso falso ou um pequeno punhal - têm uma caneta. A caneta é a maior arma que um Estado pode temer. O Estado não teme o pensamento, teme a concretização; teme a multiplicação; teme... a individualidade.

Ser poeta é uma ave em peregrinação constante - é Amor em forma de palavras.
Ser poeta é ser um fantoche do pensamento - é ser mais do que ele próprio.
Ser poeta é sair de si e entrar nos Sonhos - é ser a realização de um ideal.
Ser poeta é ser o herói de um povo - é ter coragem para pensar.

Temos de ser criança. Brincar com as palavras. Aprender o que é a amizade e renascer com os olhos dos outros. Faz-nos falta acabar a saudade, o que somos e sermos aquilo que sonhámos - realizarmos. Sermos o motivo da mudança, amarmo-nos e... sorrir à vida!

Porque amo Portugal.
Mandemos cravos ao ar, e aproveitemos o nosso maior bem - a Liberdade!




Beijinhos e portem-se mal!! ;)